canal teatro mf logo

O melhor do teatro está aqui

Search

“O Jovem Frankenstein” satiriza filmes de terror com humor arrasador

Sinopse

Musical criado por Mel Brooks tem a assinatura de Charles Möeller e Claudio Botelho, além da produção da Aventura

Por Ubiratan Brasil

O espetáculo O Jovem Frankenstein chega a São Paulo estabelecendo várias marcas individuais. É o primeiro musical interpretado por Dani Calabresa, mais conhecida como comediante e apresentadora. Também é a maior comédia que o diretor Charles Möeller realizou em sua carreira. Finalmente, é o maior desafio enfrentado pelo ator Hamilton Dias que, no papel do Monstro, é obrigado a andar e a dançar com um sapato com salto de 15 cm, além de ostentar uma pesada maquiagem.

O resultado é um musical que traduz bem o humor anárquico do criador da trama, o cineasta e roteirista Mel Brooks. “Essa é a maior comédia que já fiz na minha carreira. É um musical complexo e tem tudo o que gosto muito: a estética do terror, o tempo de comédia do Brooks, que é um dos melhores do mundo”, comenta Möeller, que divide a concepção geral com Claudio Botelho. O musical, que é a nova parceria da produtora Aventura com a Möeller&Botelho, chega em São Paulo no Teatro Bradesco.

Dani Calabresa em O Jovem Frankenstein. Foto Caio Gallucci

O espetáculo conta a história do Dr. Frederick (Marcelo Serrado), neurocirurgião que dá aulas em uma Faculdade de Medicina sobre o sistema nervoso central. Ao descobrir que recebeu um castelo na Transilvânia de herança de seu avô, Victor Frankenstein, ele viaja até lá e conhece o livro deixado pelo parente ilustre sobre a experiência em reanimar mortos. Frederick resolve, então, fazer uma experiência e reativar a teoria do avô.

“É uma bela sátira ao livro Frankenstein, da escritora Mary Shelley, e aos filmes de terror. O resultado é um musical engraçadíssimo”, conta Serrado, que lembra de ter visto o longa original quando criança. De fato, o filme O Jovem Frankenstein foi lançado há 50 anos por Mel Brooks, que escreveu o roteiro junto do ator que foi o protagonista, Gene Wilder. E, em 2006, o diretor apresentou a versão musical, que estreou na Broadway.

Hamilton Dias é o Monstro em O Jovem Frankenstein. Foto Caio Gallucci

Como o filme é a base principal, Möeller e Botelho decidiram que o ritmo do musical seria parecido com o de um longa, com os cenários se abrindo e fechando como se fosse visto pela lente de uma filmadora.
Além disso, a trama necessita de um elenco afiado tanto na interpretação como no canto e na dança. Isso porque os personagens são muito marcantes. É o caso do serviçal Igor (Fernando Caruso), que ostenta uma corcova que muda de lado em suas costas, confundindo os demais. Há também Elizabeth (Dani Calabresa), noiva de Frederick mas que, com o passar da história, vai descobrir um novo amor. “Ela é muito esperta e sabe conquistar o que lhe interessa”, conta Calabresa.

Totia Meireles vive Frau Blücher, a enigmática governanta do castelo, dona de vários segredos e cujo nome provoca relinchos dos cavalos quando pronunciado. Há ainda Inga (Malu Rodrigues), uma aldeã local que logo vai mostrar mais qualidades que apenas as físicas, e o Ermitão cego (Claudio Galvan), que não percebe estar recebendo o Monstro em casa.

Totia Meireles no musical O Jovem Frankenstein. Foto Caio Gallucci

Para interpretar o Monstro, Hamilton Dias é submetido a uma pesada maquiagem, além de usar sapatos com saltos de 15 cm de altura. “Mas meu maior desafio foi descobrir como seria esse monstro. Como ele volta dos mortos, percebi que seria como o nascimento de um bebê, então meu andar é desajeitado e só pronuncio praticamente berros”, conta.

Serviço

O Jovem Frankenstein

Teatro Bradesco. Shopping Bourbon. Rua Palestra Itália, 500

Quintas e sextas, 21h. Sábados, 21h e 16h. Domingos, 16h. R$ 37,50 / R$ 150.

Patrocínio Bradesco Seguros

Até 17 de março

[acf_release]
[acf_link_para_comprar]

Ficha Técnica

[acf_ficha_tecnica]

Serviço

[acf_servico]