canal teatro mf logo

O melhor do teatro está aqui

Search

Exclusivo: Fabi Bang será a Sally Bowles do musical “Cabaret”; ouça

Sinopse

Canal MF apurou que atriz viverá papel na montagem que estreia em março, no 033 Rooftop, produzida por Marília Toledo e dirigida por Kleber Montanheiro; até lá, continua em “Matilda, o Musical

Por Ubiratan Brasil

A atriz Fabi Bang será a protagonista do musical Cabaret, segundo apurou o Canal MF. No espetáculo que vai estrear no dia 8 de março, no 033 Rooftop do Teatro Santander, Fabi viverá o papel de Sally Bowles, que já foi interpretado tanto no cinema (por Liza Minnelli) como diversas vezes no palco (no Brasil, já teve Beth Goulart em 1989 e Claudia Raia, em 2011, quando Fabi integrou o elenco como ensemble). Até lá, ela continua no elenco de Matilda, o Musical, que volta em cartaz no Teatro Claro-SP.

O espetáculo, que terá produção de Marília Toledo e direção de Kleber Montanheiro, contará também com André Torquato no papel de Emcee, o enigmático mestre de cerimônias que comanda a programação do Kit Kat Club, em Berlim, e de Ícaro Silva, como o escritor Cliff Bradshaw.

O ator André Torquato. Foto Caio Gallucci

Ambientada na cinzenta Berlim de 1931, à véspera da ascensão nazista, a trama acompanha o relacionamento da americana Sally Bowles, principal cantora de uma espelunca de Berlim, o Kit Kat Club, com o aspirante a escritor americano Cliff Bradshaw. Enquanto ela se agarra em uma tentativa de escapar de uma rotina miserável, ele quer escrever o romance que vai projetá-lo.

“Quando participei da versão de 2011, consegui realizar um sonho ao participar, lado a lado, de uma pessoa muito importante na minha formação de caráter – Claudia é um ídolo muito significativo na minha carreira”, conta Fabi ao Canal MF. Ela disse ainda que não imaginava viver Sally Bowles no palco, algo que só começou a mudar há cinco anos. “Foi quando me apaixonei pela personagem e ela começou a fazer sentido na minha personalidade artística.”

Com o tempo, Fabi Bang descobriu diversas afinidades com Sally Bowles. “Ambas temos uma personalidade repleta de ironias, humor, teatralidade. Tenho essa estética teatral”, conta. “Kleber vai trazer o colorido para essa versão, mas meu entendimento da personagem é o de uma jovem moralmente livre, boêmia, independente. Como artista burlesca, ela exerce um fascínio nos homens ao vestir a carapuça dessa fêmea fatal, mas, na verdade, se trata de uma mulher livre. Claro que corre atrás do dinheiro e a forma de conseguir é se voltar ao olhos masculinos.”

A atriz está muito empolgada com o desafio. “Eu não esperava ser convidada. Não fazia parte dos meus planos, mas sim dos meus sonhos. Por isso que agradeço Marília e Kleber por terem contemplado meu talento com esse convite”, comenta.

A versão original de Cabaret, de 1966, foi escrita pelo dramaturgo Joe Masteroff, que se baseou na peça Eu Sou Uma Câmera, de John Van Druten, inspirada, por sua vez, no livro Adeus, Berlim, de Christopher Isherwood. Com músicas de John Kander e Fred Ebb – clássica dupla de compositores de musicais da história, donos de sucessos como Chicago e Beijo da Mulher Aranha -, o espetáculo teve 1.165 apresentações na primeira temporada na Broadway.

A atriz Fabi Bang, que vai protagonizar o musical Cabaret. Foto Caio Gallucci

Levado ao cinema em 1972 pelo diretor e coreógrafo Bob Fosse, Cabaret logo se tornou um clássico e consagrou Joel Grey como Emcee e Liza Minnelli no papel de Sally Bowles – ele levou o Oscar de melhor ator coadjuvante e ela, de melhor atriz. Ela, aliás, era uma intérprete com uma marca especial – os braços em constante agito, a cabeça em movimentos teatrais e a voz sempre ofegante e carregada de emoção, assim era Liza em ação.

Fabi Bang é uma das principais intérpretes do musical brasileiro. Bisneta do maestro Alberto Nepomuceno, considerado o “pai” da música erudita brasileira, ela iniciou cedo a carreira artística: aos cinco anos, participou do filme A Princesa Xuxa e os Trapalhões (1989). Bailarina com passagem pela Europa, Fabi iniciou sua carreira no teatro musical em 2005, como swing da primeira montagem brasileira de O Fantasma da Ópera.

Em seguida, participou de Miss Saigon (2007), A Bela e a Fera (2009), Cats (2010), Evita (2011), Cabaret (2011), Priscilla (2012), A Família Addams (2013) e O Homem de La Mancha (2014). Seu talento, apesar de evidente, era pouco notado, até se destacar em Kiss Me Kate (2015), na versão só encenada no Rio de Janeiro.

A atriz Fabi Bang. Foto Caio Gallucci

Ali, sua versatilidade (além de cantar, é uma ótima comediante) foi destacada. Mas Fabi conseguiu, de fato, o estrelato ao viver Glinda na versão brasileira de Wicked, protagonizando ao lado de Myra Ruiz como Elphaba. Foi um enorme sucesso e o papel lhe rendeu o Prêmio Bibi Ferreira 2016 de “Melhor Atriz”.

A consagração continou em outros musicais, como A Pequena Sereia (2018), onde viveu Ariel, Cinderella (2021), no qual interpretou a protagonista, e mais recentemente em Matilda (2023).

Ouça declarações de Fabi Bang sobre o papel de Sally Bowles

[acf_release]
[acf_link_para_comprar]

Ficha Técnica

[acf_ficha_tecnica]

Serviço

[acf_servico]