canal teatro mf logo

O melhor do teatro está aqui

Search

BANCO DOS SONHOS

Está aberta a temporada de comemorações dos 20 anos da Velha Companhia.

Um grupo de teatro que se renova a cada criação. Uma relação que funde vida e arte, estreitando laços.

A reflexão: o que adormece as pessoas ou então, o reverso: o que as move?

São duas décadas dedicadas a pesquisa teatral, com ações artístico-sociais, fomentando uma dramaturgia contemporânea que preserva a memória do país, cultivando seu desenvolvimento, gerando inúmeros empregos diretos e indiretos em suas longas temporadas, em produções que reúnem vários profissionais do teatro e tem como desafio uma comunicação ativa e prazerosa com o público.

E para começar tudo isso, dia 2 de março estreia Banco dos Sonhos, novo texto de Kiko Marques, no Teatro do Sesc Pompeia. De quinta a sábado às 21h e domingo às 18h.

Será uma alegria esse reencontro!

Banco dos Sonhos revela o universo onírico de uma transtornada atriz à beira da morte, em uma rua insone da cidade de São Paulo, a partir da visita de uma inesperada credora.

“Banco dos Sonhos, em seu universo patético, fala de um mundo onde o sonho foi burocratizado e o sonhar se tornou objeto de consumo, não mais conectado às demandas particulares ou coletivas das psiques, mas seguindo a lógica da mercantilização das vontades. Fala de um tempo onde a sensibilidade foi engolida pela luta da sobrevivência cada vez mais selvagem e desumana, não deixando espaço ao indivíduo, a não ser a desconexão e o desamparo. Fala da cidade que destrói seus teatros, suas livrarias, cinemas e praças, sua poesia, pra construir enormes prédios através dos quais se pode chegar cada vez mais perto do céu, em monumentos de concreto e poder. Fala de um universo onde o sonhar está obsoleto, onde o tempo é a ferramenta da produção e do consumo. Mas fala também do amor. Do que há que de imprevisível e revolucionário no verdadeiro amor, aquele que não segue regras. E da esperança que mora nos verdadeiros encontros. ”

Kiko Marques

BANCO DOS SONHOS

Local: Teatro do Sesc Pompeia

Classificação: 14 anos

Duração: 80 minutos

Gênero: Realismo Onírico

Temporada: 2 de março a 2 de abril

 De quinta a sábado 21h e domingos às 18h.

Ingressos: R$40,00

Pelo site e pelas bilheterias do Sesc

Credencial plena: R$ 12,00

Estudantes, Idosos, PCD e seus Acompanhantes (meia entrada): R$ 20,00

FICHA TÉCNICA

Idealização: Velha Companhia

Texto e Direção: Kiko Marques

Elenco:

Alejandra Sampaio – Benedita

Virgínia Buckowski – Enoc

Maristela Chelala – Rúbia

Valmir Sant’Anna – O Autor e O Saxofonista Solitário

Mateus Matilde Menezes – Joel/ Gerusa Marília Santos – Gerusa/Anna

Kiko Marques – Elton

Direção de produção: Virgínia Buckowski e Alejandra Sampaio

Desenho de luz: Marisa Bentivegna

Figurino: João Pimenta

Cenário: João Pimenta e Kiko Marques

Trilha sonora original: Bruno Menegatti

Videografismo e videomapping: Um Cafofo/ André Grynwask

Assistência de direção e produção: Fábio Mráz

Provocação cênica: Maria Fernanda Vomero

Analista junguiana: Mariana Laham Bruzzone

Assessoria de imprensa: Morente Forte

Ação formativa de público: Plínio Meirelles

Operadora de luz: Adriana Dham

Operador de som: Caçula Rodrigues

Gravação, mixagem e masterização: Estúdio P4Rei/ Luiz Claudio Sousa

Músicos em estúdio: Bruno Menegatti, Gustavo Boni, Gustavo Sarzi, Guegué Medeiros e Luiz Claudio Sousa

Designer gráfico: Fabricio Santos

Fotografia: Ênio Cesar

Designer de peruca: Paulette Pink

Libras: Elaine Sampaio e Fabiano Campos

Histórico – A VELHA COMPANHIA

A Velha Companhia desenvolve um trabalho contínuo de pesquisa teatral desde 2003. Foi fundada por

Kiko Marques, Alejandra Sampaio e Virgínia Buckowski, que formam o núcleo central de idealização e

realização dos projetos. Seus espetáculos têm cumprindo longas temporadas, ficando anos em cartaz,

percorrendo várias cidades do país, gerando centenas de empregos diretos e indiretos e alcançando

reconhecimento da crítica, alguns dos mais importantes prêmios teatrais e principalmente criando um

diálogo ao mesmo tempo profundo, questionador e prazeroso com o público.

Seus espetáculos são:

Cais ou Da Indiferença das Embarcações, Sínthia e Casa Submersa, que fazem parte da Trilogia das Águas, de Kiko Marques. Valéria e Os Pássaros e Ay, Carmela!, obras do autor José Sanchis Sinisterra. Crepúsculo,

O Travesseiro (poema nº 1 para a infância) e Brinquedos Quebrado, com autoria de Kiko Marques, e que fazem parte da primeira parte de trajetória da companhia.

Abaixo, um histórico resumido deles:

CASA SUBMERSA estreou em Agosto de 2019 no Espaço Cultural Quilombaque, com sessões especiais

para a comunidade de Perus. Depois realizou a primeira temporada no Sesc Pompeia em Setembro. A

segunda temporada ocorreu em outubro e novembro de 2019 no Núcleo Experimental em São

Paulo. Durante a pandemia, teve sua temporada no Tusp adiada, e foi transformado em uma série/

podcast de 12 episódios e que está disponível no spotify.

Prêmio APCA 2019: indicação de melhor dramaturgo Kiko Marques.

Prêmio Shell 2019: indicação de melhor atriz Virgínia Buckowski.

Prêmio Aplauso Brasil 2019: indicações de melhor dramaturgia Kiko Marques, melhor figurino João

Pimenta, melhor ator coadjuvante Marcelo Diaz e Marcelo Marothy.

REVISTA VEJA SP: entre as 10 melhores peças do ano de 2019.

SÍNTHIA (2016/17)

APCA 2016 de melhor direção para Kiko Marques.

Prêmio Shell 2016 – indicação de melhor diretor para Kiko Marques e melhor atriz para Denise

Weinberg.

Prêmio Aplauso Brasil 2016 – indicação de melhor diretor e autor para Kiko Marques, melhor trilha

Original para Tadeu Mallaman e melhor atriz coadjuvante para Virgínia Buckowski.

Prêmio Cenym 2017 – indicação de melhor texto para Kiko Marques, melhor espetáculo, melhor atriz

Denise Weinberg, melhor atriz coadjuvante para Virgínia Buckowski e melhor Companhia de Teatro.

Projeto realizado com o 24º Fomento de Teatro da cidade de São Paulo e

3º Prêmio Zé Renato da cidade de São Paulo.

Promoveu Encontro da Ong Brenda Lee, de transexuais com a Velha Companhia, onde puderam

assistir ao espetáculo gratuitamente e participar de debate ao final.

Promoveu ciclo de palestras dentro do projeto Mergulhar pra Respirar, contemplado com o 24º

Fomento da cidade de São Paulo, com os seguintes palestrantes convidados: Jo Clifford, Marcos

Napolitano, Maurício Cardoso, Amelinha Teles, Mariana Rosell, Cecília Heredia e Ricardo Cardoso,

Guilherme Kwazinski, Thamy Ayoush. (2016)

VALÉRIA E OS PÁSSAROS de José Sanchis Sinisterra (2015)

APCA 2015 – indicação de melhor atriz para Alejandra Sampaio.

Aplauso Brasil 2015 – indicação categoria destaque para Velha Companhia e indicação de melhor atriz

para Alejandra Sampaio.

CAIS ou Da Indiferença das Embarcações (2012/13/14/15/16/17)

SHELL 2013 prêmio de melhor dramaturgo para Kiko Marques. E indicações de melhor ator para

Maurício de Barros, melhor trilha original para Umanto, melhor cenário e figurino para Chris Aizner e

melhor diretor para Kiko Marques.

APCA 2013 – prêmio de melhor dramaturgo para Kiko Marques. E indicação de melhor espetáculo do

ano.

Aplauso Brasil 2013 – prêmio de melhor dramaturgo para Kiko Marques. E indicações de melhor

espetáculo de grupo, melhor trilha sonora original para Umanto, melhor direção para Kiko Marques,

melhor elenco, melhor cenário e melhor figurino, ambos para Chris Aizner.

Qualidade Brasil 2013 – prêmio de melhor direção para Kiko Marques. E indicação de melhor

dramaturgo para Kiko Marques, melhor espetáculo teatral de drama, melhor ator teatral drama para

Maurício de Barros e melhor atriz teatral drama para Alejandra Sampaio.

Projeto realizado com o apoio do Instituto Cultural Capobianco. Participou do Circuito Paulista.

O TRAVESSEIRO (poema nº1 para a criança) – (2011/10/09/08)

Prêmio Ana Maria Machado – CEPETIN – RJ (Textos Inéditos para Kiko Marques)

Indicações ao Prêmio Femsa SP – atriz Virgínia Buckowski, ator Silvio Restiffe, cenógrafa e iluminadora

Marisa Bentivgna.

Prêmio Zilca Sallaberry 2011 RJ (Indicação de melhor texto para Kiko Marques, atriz para Alejandra

Sampaio e Iluminação para Marisa Bentivegna.

Projeto realizado com o Proac 2008 e Teatro Alfa.

AY, CARMELA! de José Sanchis Sinisterra (2011/10/09/08)

Estreou na Mostra do Instituto Cultural Capobianco SP. Participou do Edital da Caixa Econômica Federal

e do Projeto Circuito Cultural Paulista da Secretaria de Cultura de SP. Foi Parceira da Mostra 70 Anos

Sinisterra, realizada em São Paulo com Instituto Cultural Capobianco, Instituto Cervantes e Memorial da

América Latina

Prêmio Qualidade Brasil 2007: Virgínia Buckowski foi contemplada com o prêmio de melhor atriz e Kiko

Marques recebeu a indicação de melhor.

Prêmio Festival Nacional de Americana 2007: Kiko Marques foi contemplado com o prêmio de melhor

ator e Virgínia Buckowski recebeu a indicação de melhor atriz.

CREPÚSCULO (2006/05)

Recebeu o I Prêmio Inclusão da pessoa idosa – Ministério da Cultura

Prêmio Myriam Muniz FUNARTE- 2006, com o Projeto “Reminiscências ou Resgate da Tradição Oral”,

composto por quatro frentes: 1) apresentações do espetáculo que tem texto de Kiko Marques; 2)

trabalho artístico social em asilos de São Paulo que resultou num sarau na Vila Maria Zélia, com a

presença de todos os moradores dos asilos apresentando suas atividades resultantes da vivência; 3)

debates com enfoque na terceira idade aberto ao público, mediados por Gilberto Dimenstein, Stepan

Nercessian, entre outros, na sala Crisantempo; 4) confecção de um texto de dramaturgia própria

intitulado Cais ou da Indiferença das Embarcações.

Prêmio Qualidade Brasil: indicação de melhor atriz Luciana Caccioli e melhor ator Marcelo Diaz.

BRINQUEDOS QUEBRADOS (2004/03)

Destinado ao público jovem, foi eleito um dos cinco melhores espetáculos do ano de 2003 pelo Portal

IG.

Contato

velhacompanhia@hotmail.com

instagram e facebook @velhacompanhia

Sinopse

Ficha Técnica

Serviço

Escanear o código